Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufrr.br:8080/jspui/handle/prefix/109
Tipo: Dissertação
Title: Avaliação química, físico-química e ensaios biológicos do óleo da polpa de inajá Maximiliana maripa (Aubl.) Drude) Arecaceae
Autor(es): Mozombite, Diana Maruja Sangana
Primeiro Orientador: Melo Filho, Antonio Alves de
Resumo: O inajá (Maximiliana maripa (Aubl.) Drude) é uma palmeira, pertencente à família botânica Arecaceae e é encontrada na Colômbia, Venezuela, Trinidad (Caribe), Guianas, Equador, Peru, Bolívia e Brasil. Tanto a amêndoa como a polpa do fruto representam a matéria-prima que podem ser consumidos como alimento no seu estado natural, servindo ainda para a produção de vinhos, sucos e sorvetes. Tem importância também para indústria de cosméticos, como saboarias e produtos para a saúde. Apresenta características físico-químicas que possibilitam o seu aproveitamento como alimento energético, assim como matéria-prima de caráter oleífero. Este trabalho apresenta o estudo químico, físico-químico e biológico do óleo da polpa de M. maripa de ocorrência natural no estado de Roraima e teve como objetivo analisar a atividade antioxidante por reação do DPPH, avaliar o perfil dos ácidos graxos por meio de cromatografia gasosa, determinar as propriedades físico-químicas por RMN-1H, identificar os principais grupos funcionais presentes, através do espectrofotômetro de infravermelho, avaliar a atividade biológica sobre bactérias, testar a inibição sobre enzimas de acetilcolinesterase e determinar a toxicidade sobre náuplios de Artemia salina. Da polpa extraiu-se um óleo de coloração amarelo-claro com rendimento de 44,20%. O óleo da polpa de Inajá, foram obtidos mediante uma extração Soxhlet com hexano. As análises dos óleos, foram realizadas em Cromatógrafo a Gás HP5890 equipado com detector por ionização de chamas, GC-FID. Dez ácidos graxos saturados (AGS) e insaturados (AGI) foram identificados, os AGI majoritários foram ω-9 (22,32%), ω-6 (4,72%) e ω-3 (3,95%), e os AGS majoritários foram palmítico (20,76%) e mirístico (20,48%). Propriedades físico-químicas foram calculadas utilizando RMN-1H, demonstrando que o óleo da polpa de inajá apresenta características físico-químicas que possibilitam o seu aproveitamento na alimentação tanto humana quanto animal, representando um alimento energético, assim como matéria-prima de caráter oleífero. A espectroscopia de IV mostrou absorções de bandas características dos triglicerídeos, como uma banda forte e intensa, referente ao grupo C=O, em 1.732 cm-1, dos ácidos carboxílicos. Na avaliação antibacteriana do óleo da polpa de Inajá, utilizou-se do teste de sensibilidade antibacteriana (TSA), cujas concentrações foram 250; 125; 62,5; 31,3; 15,6; 7,8; 3,9; 2 μg/mL. Observou-se 26% de inibição frente a Citrobacter freundii e 24% de inibição para Pseudomonas aeruginosa. Enquanto que, verificou-se 36% de inibição frente a Bacillus cereus e 39% de inibição sobre Listeria monocytogenes. No teste de acetilcolinesterase, o óleo apresentou uma inibição de 63,76%, sendo considerada potente. No teste frente à Artemia salina, determinou-se um DL50 de 0,96 μg.mL-1, sendo considerada tóxica. Os resultados obtidos contribuem com novas informações para a literatura e sugerem estudos futuros de prospecção química e biológica de esta espécie vegetal com a finalidade de desenvolver bioprodutos para a saúde humana.
Abstract: .
Keywords: Inajá
Antioxidantes
Óleos vegetais
CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Roraima
Sigla da Instituição: UFRR
metadata.dc.publisher.department: CCT - Centro de Ciência e Tecnologia
metadata.dc.publisher.program: PPGQ - Programa de Pós-Graduação em Química
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufrr.br:8080/jspui/handle/prefix/109
Issue Date: 2016
Appears in Collections:PPGQ - Programa de Pós-Graduação em Química



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.